‘Se divertir um pouco’

'Vai num baile, vai num forró, vai num cinema, vai num parque, viaja um pouco, vai numa praia', disse Maria
‘Vai num baile, vai num forró, vai num cinema, vai num parque, viaja um pouco, vai numa praia’, disse

“Se divertir um pouco, né? Todo ser humano tem direito. (…)  Por mais [baixa?] que seja sua classe social, tem que procurar alguma coisa para se divertir… Vai num baile, vai num forró, vai num cinema, vai num parque, viaja um pouco, vai numa praia, para quem pode… Carnaval, essas coisas, né?”

Com a resposta que me deu, a diversão pareceu ser o principal sentido da vida para Maria da Conceição dos Santos, de 43 anos.

Um pouco antes de conversar comigo, porém, Maria entregava folhetos no farol e tava com uma cara de quem não parecia lá estar se divertindo muito com isso… Depois que peguei o panfleto, resolvi estacionar o carro na rua do lado e voltar para falar com ela.

“Preciso ganhar um dinheiro”, contou, acrescentando que distribui panfletos no farol quase todo final de semana. “A não ser quando eu tô muito ruim, quando não estou aguentando minha situação. Se tiver passando mal. Do contrário, eu venho”.

Maria explicou que sofreu uma queda e ficou com uma “pequena infecção na perna”. “Se eu andar muito, ou se eu bater na perna, se eu comer muito doce ou muito arroz, a minha perna incha. Aí eu tenho que esperar desinchar para depois voltar a vir [trabalhar] de novo”.

Uma colega que estava sentada do lado dela disse que é pago de R$ 35 a R$ 50 por dia de trabalho.

Apesar de Maria ter falado bastante da diversão na sua resposta sobre o sentido da vida, trabalhar também estava na lista. “Ah, é bom trabalhar, né? Ganhar um dinheiro, cuidar da nossa vaidade, se divertir um pouco… Se divertir um pouco.”

– O que você quis dizer com “praia para quem pode”? – perguntei, pensando que às vezes ela não teria condições de ir muito à praia.

“A praia é para todos, né? Eu já fui na praia. Já participei de Carnaval, já participei de Ano Novo na paia do Rio. Cada ser humano tem o direito de se divertir. Por pior que seja [a situação da pessoa], né? Mas tem que procurar um divertimento, ver uma televisão, ver alguma coisa, sair… Sei lá, procurar alguma coisa para fazer, eu acho assim, né…”

Anúncios

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s