As lições que aprender música me dão para a vida

Aprender música exige paciência e persistência, além de curtir a jornada. Foto: Takis Kolokotronis/Freeimages.com
Aprender música exige paciência e persistência, além de curtir a jornada. Foto: Takis Kolokotronis/Freeimages.com

Eu comecei a estudar música há quase três anos. Na época, entrar para a aula de flauta foi a realização de um sonho antigo – eu sempre gostei muito de música e admirava as pessoas que tocavam algum instrumento musical. Com o passar do tempo, aula após aula, eu tenho percebido o quanto o aprendizado traz lições simples para o meu dia a dia – o que não significa que seja fácil de implantá-las. Não é raro eu estar no meio da aula, o professor falar algo e eu responder: “é que nem na vida, né, Elias?” E assim resolvi juntar esses aprendizados em um texto. São as minhas percepções de como aprender música nos dá lições para viver melhor.

1 – Aproveitar a jornada

Como eu já disse, faz quase três anos que eu comecei a estudar flauta. E ainda não consigo tocar um chorinho rápido. Algumas notas agudas saem com muita dificuldade. Sei lá quanto tempo ainda vai levar para eu conseguir emitir o som que eu gostaria. Mas até lá, cá estou, diariamente, estudando (quase) todo dia, focando nas etapas que vão sendo concluídas de cada lição. Se não fossem os pequenos prazeres por cada nota aprimorada, cada exercício concluído, eu já teria desistido. Aliás, no começo é chato demais (os sons, quando saem, são horríveis). Mas eu continuava porque via graça em aprender. Achava cada conquista valiosa. Esse aprendizado parece até meio óbvio, mas eu já me peguei em outros aspectos da vida focando apenas no final, ou seja, achando o caminho horrível e estressante, mas imaginando como seria bom no futuro. Bom, quando isso acontece talvez valha a pena a gente reconsiderar ou o caminho ou como o enxergamos – precisa ter sentido no agora, e não no futuro, não é mesmo?

2 – Ter paciência

“Por que você está tocando tão rápido?” Sei lá quantas vezes já ouvi essa pergunta do Elias. Eu sou tão ansiosa – e parece que muitos alunos também – que fico querendo tocar a música rápido sem nem conseguir fazer direito nota por nota. Aí lá vai ele pedir para eu ir mais devagar. Repetir o mesmo trecho sei lá quantas vezes. Quando eu consigo tocar devagar, aí a gente passa para uma velocidade maior, até atingir a rapidez desejada. Não é fácil e tem horas que cansa demais – a gente quer tocar rápido logo de cara. Nessas horas eu sempre penso – e até falo pra ele – que sou assim na vida também. A gente quer que tudo fique do jeito que queremos “pra ontem”. Não temos paciência para viver com calma todas as etapas. Eu, pelo menos, muitas vezes sou assim.

3 – Ter persistência

“Eu quero que você prove que não consegue fazer”. O Elias sempre fala isso… E eu não consigo me recordar uma vez que no final da aula eu não estava conseguindo executar tal trecho ou, ao menos, tinha um caminho para treinar em casa e conseguir fazer. Às vezes a partitura de uma música nova tem uns trechos difíceis de ler, mas que são executáveis. Só que eu fico desesperada apenas de ver as notas juntas. De primeira mão elas parecem formar algo incompreensível… Na aula, a gente passa trecho por trecho. Um tempo depois, lá estou eu compreendendo e fazendo o que parecia impossível. Na vida é igual. A gente às vezes olha de longe a tarefa e fala: “é muito difícil fazer isso, não vou conseguir”. E aí nem tenta. Mas se a gente tentar, começar do começo, aos poucos vemos que dá, sim, para fazer. Então temos que ter persistência e não desistir.

4 – Compare-se apenas a si mesmo

Tocar flauta para mim é um “hobby”, então estou longe de almejar ser musicista profissional. Mesmo assim, é comum eu observar como outras pessoas tocam melhor do que eu, ou têm mais facilidade para algumas coisas. E do mesmo jeito, pode acontecer de às vezes eu achar que estou “arrasando” em um trecho e, ao chegar na aula, perceber o quanto ainda falta aprimorar. Então, o que aprendi é que devo ter como base onde eu mesmo estava e onde estou agora – sem me comparar com os outros para mais ou para menos. Buscar evoluir com relação ao meu patamar. Várias vezes eu me decepciono com meu resultado e já ouvi do professor algo como: “você lembra como você chegou aqui, ou como evolui nisso?” Na vida é bem igual. Então esse aprendizado seria algo como: faça o que tem que ser feito, dê o melhor em relação a você, mas não se compare com os demais. O que vale é seu avanço sobre o que você era antes.

5 – Bom resultado exige treino

Nas artes em geral, é comum a gente achar que uma pessoa que toca muito bem, pinta ou dança maravilhosamente “nasceu para isso, tem o dom”. Quanto mais estudo música, mais estou convencida de que bom mesmo é aquele que mais estuda, que se dedica. Poucos têm o dom, mas a maioria toca bem porque se esforça muito. E mesmo quem tem mais facilidade precisa estudar para desenvolver o tal “dom”. Na vida é igual. Uma vez ouvi uma frase de alguém que disse ao Nelson Freire (acho que foi ele): “nossa, como você toca bem, eu daria minha vida para tocar assim”. E ele teria respondido: “eu dei”.  Talvez esse aprendizado seja uma soma dos outros. A gente tem que ter paciência, persistência, não olhar muito para o lado e curtir a jornada, que quando vemos as coisas dão certo.

Bom, escrevi este texto inspirada nas minhas aulas de flauta. Na minha vida em si, confesso que patino muito pra seguir essas dicas aí. É um estímulo para mim mesma: se ao aprender música dá certo, na vida há de dar também, não é mesmo?


Escreva um livro sobre a sua história

Quer dar sentido à sua vida por meio da sua história? Fale comigo! Escreva um livro sobre a sua vida, a história da sua família, empresa ou instituição. Entre em contato pelo: www.vidarialivros.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s