Livro de Autoajuda: por que o gênero é polêmico e o que evitar ao escrever um

Enquanto o gênero literário de autoajuda auxilia muitos leitores a fazerem mudanças positivas em suas vidas, ele também carrega uma conotação um tanto quanto negativa para outros. Mas por que os livros de autoajuda são tão polêmicos? O principal motivo são as chamadas “fórmulas prontas” fornecidas em algumas dessas obras, como explico a seguir. 

Escrevo este texto justamente porque o dilema em torno da expressão “livro de autoajuda” é presente entre as pessoas que procuram a Vidaria Livros interessadas em escrever um livro. Entre elas, existem tanto as que querem que suas obras sejam de autoajuda, como as que reforçam: “Só não quero que o meu livro pareça de autoajuda!”.

A origem da má fama

Para explicar o motivo da polêmica, recorro a um conteúdo que o psicanalista Christian Dunker me passou por e-mail, após eu perguntar a especialistas a origem da má fama dos livros de autoajuda. 

De acordo com Dunker, “autoajuda é um gênero que se autonomiza e se desenvolve no início do século XX, basicamente ligado aos problemas evocados pela vida em sociedade de massas, a necessidade de interpretar novas formas de vida no trabalho, no desejo e na linguagem.” Segundo ele, o gênero ascende em paralelo com o declínio das narrativas morais e religiosas baseada no “exemplo a seguir”.

O especialista cita que o primeiro grande exemplo disso é a clássica cobra Como Fazer amigos e Influenciar Pessoas, publicada em 1936 por Dale Carnegie, que descrevia com simplicidade e eficiência como devemos agir para adquirir o então instável e misterioso valor que é o capital social.

Dunker destaca alguns dos conselhos contidos na obra: “Não critique, condene ou reclame”, “Dê apreciação honesta e sincera”, “Desperte na outra pessoa um desejo ardente” ou “Torne-se genuinamente interessado em outras pessoas, sorria, lembre-se que o nome de uma pessoa, seja um bom ouvinte, faça a outra pessoa sentir-se importante − e faça-o sinceramente”. 

Paradoxo na literatura de autoajuda

De acordo com Dunker, todavia, há um paradoxo na literatura de autoajuda: ela frequentemente cria regras que só são úteis para quem não precisa delas como “regras”. Por exemplo: “Torne-se genuinamente sincero e interessado nos outros” é uma técnica para ganhar amigos e obter artificialmente mais poder, observou. Ou seja, quem já é genuinamente sincero e interessado nos outros não está buscando algo em troca com isso.

Com o passar do tempo, a função inicial da autoajuda, que era ser um manual prático de sobrevivência social, tornou-se em um instrumento para enfrentar a crise de sentido em um mundo cada vez mais caótico, perigoso e predatório. “As pessoas buscam fórmulas para que possam viver suas próprias vidas sob essas “regras”’, observou. 

O grande problema, segundo Dunker, é que esses livros podem acabar sendo “um manual de desajuda” ou alienação para que alguém se afaste e evite o que é realmente decisivo, ou seja, autonomia para pensar, criticar e escolher sua melhor forma de lidar com os problemas práticos e com as escolhas morais que a vida nos coloca.”

O especialista escreveu, porém, que essas obras podem, sim, ser canais positivos. “Toda autoajuda realmente funciona, o problema é saber para que e para quem (…). Esse movimento de tratar seus problemas e enfrentar as dificuldades é benéfico, tudo depende do ‘modo de usar’”, afirmou.

Bons livros de autoajuda

A má fama dos livros de autoajuda surge justamente da leitura crítica de certos leitores, que observaram a existência das fórmulas prontas e passaram a questioná-las, uma vez que nem sempre servem ou funcionam para todos.

Porém, é importante filtrarmos o que serve para nós e entendermos que muitos livros de autoajuda são de ótima qualidade e, de fato, proporcionam reflexão e retornos positivos aos leitores.

O filósofo Mário Sérgio Cortella foi questionado, em uma entrevista à revista Istoé, sobre o fato de suas obras serem consideradas de autoajuda, respondeu que suas obras são provocações filosóficas. “Escrevo livros de autoajuda também, afinal escrevo sobre filosofia. A autoajuda nasce no Ocidente, com Sócrates como seu principal representante. E o lema socrático é ‘conhece-te a ti mesmo’ e esse é o princípio inteligente de autoajuda”, disse. 

Cortella salientou, porém, que em alguns momentos a autoajuda ganhou um ar de banalização. “Uma parte da má literatura existe em qualquer área. Alguns dos meus livros estão no campo da reflexão pessoal. Não me incomodo com a palavra autoajuda. Ela pode ser banal, mas pode não ser. Se eu sou um formador de opinião, preciso chamar para mim aquele que está distraído, despertar a capacidade de viver de um modo que não seja robótico.”

Como escrever um bom livro de autoajuda?

Portanto, caso você esteja escrevendo seu livro e esteja preocupado com a má fama e caráter pejorativo dos livros de autoajuda, não se prenda a isso.

Observe apenas que você não está trazendo fórmulas prontas e se preocupe mais em dar exemplos reais como INSPIRAÇÃO e não como REGRA. Tenha em mente que nem tudo que serve para alguns, é útil para todos. Tendo essa responsabilidade, sua obra não correrá o risco de entrar para a lista dos livros de autoajuda chinfrins que circulam por aí.

Quer ajuda para escrever sua história?

Fale com a Vidaria Livros! Escreva um livro sobre a sua trajetória profissional, sobre sua vida, a história da sua família ou organização. Entre em contato pelo nosso site www.vidarialivros.com.br.

Gostou desse conteúdo? Curta nossa página no Instagram e no YouTube para mais dicas sobre como escrever o seu livro.

Livro de Autojuda
Livro de Autoajuda pode ser bom ou ruim, depende do “modo de usar”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s