Posso contar minha história sem me identificar ou me expor?

“Posso contar minha história sem me expor ou me identificar?” Recebi essa pergunta recentemente pelo Instagram da Vidaria Livros e resolvi fazer um post a respeito, pois essa preocupação é comum na maioria dos livros autobiográficos publicados pela editora.

Toda pessoa que se propõe a escrever a própria história enfrenta dilemas sobre até que ponto deve expor os acontecimentos da sua vida. Também é comum nos preocuparmos se podemos expor a identidade das demais pessoas envolvidas nos episódios narrados.

No vídeo abaixo, explico detalhadamente os vários aspectos a serem considerados antes de decidirmos o que e como revelar os fatos (resumo também os tópicos em texto após o vídeo).

O que considerar antes de revelar nomes numa história real?

Resumidamente, é importante termos responsabilidade sobre o que publicamos, pois o livro é um registro para a posteridade.

Primeiro, não podemos cometer nenhum crime contra a honra ou reputação dessas pessoas (calúnia, injúria ou difamação).

Já escrevi um post com um exemplo sobre isso. No livro autobiográfico Then It Fell Apart, o músico e DJ norte-americano Moby diz que namorou com a atriz Natalie Portman quando ela tinha 20 anos. A citação não a agradou nem um pouco. Ela negou ter tido qualquer relacionamento sério com Moby, alegando que na verdade ela tinha 18 anos quando eles se encontraram poucas vezes. A polêmica me inspirou a escrever um artigo sobre a nossa responsabilidade como autores ao mencionar o nome e contar histórias envolvendo outras pessoas nos nossos livros (leia aqui)

Em segundo lugar, ao escrever uma história sobre nossa vida precisamos considerar o pacto que fazemos com o leitor, pois assumimos que a história é real. Ao comprar um livro assumido como autobiográfico, o leitor pressupõe que tudo o que está escrito é verdadeiro.

Não há como escrever sobre si sem se expor. do contrário, a obra ficará vaga, com lacunas e não convencerá o leitor, que rapidamente perceberá que as histórias estão rasas, sem aprofundamento, “dizendo sem dizer”. Caso você realmente queira manter os acontecimentos da sua vida em sigilo, o recomendado é escrever uma ficção.

Gostou deste artigo?

Siga minha página no Instagram e no YouTube para conhecer mais do meu trabalho!

Ajuda para escrever

Sonha em escrever um livro e não sabe por onde começar? Fale com a Vidaria Livros e escreva um livro sobre a sua vida. Entre em contato pelo nosso site www.vidarialivros.com.br.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s