A “Jornada da Heroína”, o livro que auxilia mulheres a escreverem suas histórias

No universo da escrita de histórias de vida, seja de ficção ou não ficção, o conceito da jornada do herói, de Joseph Campbell, é amplamente utilizado. Nele, o herói passa por diversas fases que o levam a sair do mundo normal, cotidiano, a passar por provas e desafios, até retornar transformado.

Embora essa teoria seja muito rica e retrate a experiência de vida de todos nós, há especificidades entre a jornada feminina e masculina que precisam ser consideradas na cultura atual. Como vivemos numa sociedade patriarcal, a jornada dos homens e das mulheres não necessariamente é a mesma, desde o princípio. 

Atenta a isso, a escritora e psicoterapeuta Maureen Murdock escreveu o livro A Jornada da Heroína. Segundo a autora, a principal jornada das mulheres na contemporaneidade é resgatar sua natureza feminina, sem a qual o mundo padece — tal como está acontecendo.

Etapas as serem percorridas

A obra traz diversas etapas que passamos na tentativa de alcançar o tão almejado reconhecimento social, ainda norteado por valores patriarcais. Isso envolve desde os relacionamentos com pai e mãe à escolha da carreira, do parceiro e formas de encarar os desafios da vida adulta. 

Diz Maureen: “As mulheres certamente possuem uma jornada neste momento em nossa cultura. É a jornada de abraçar completamente sua natureza feminina, aprendendo a como valorizar a si próprias como mulheres e a curar a profunda ferida do feminino. É uma jornada interior muito importante na direção de nos tornarmos um ser humano inteiramente integrado, equilibrado e completo. Como na maioria das jornadas, o percurso da heroína não é fácil; ele não possui indicações bem definidas nem guias turísticos reconhecíveis. Não há mapa, carta náutica, idade cronológica de quando a jornada se inicia. Ela não segue linhas retas. É uma jornada que raramente recebe validação do mundo exterior; na verdade, o mundo externo interfere e sabota essa jornada.” 

Um dos caminhos, por exemplo, é passar pela estrada de “ogros e dragões”. Segundo a autora, “o dragão mais desafiador de todos, no entanto, é o réptil social que nos sorri e diz: ‘sim, querida, você pode fazer o que quiser’, enquanto sabota nosso progresso oferecendo poucas oportunidades, baixos salários, cuidados infantis inadequados e lentas promoções. O que esse dragão realmente nos diz é. “sim, querida, você pode fazer o que quiser, contanto que faça o que queremos que você faça”.

Como a escrita ajuda as mulheres em sua jornada?

Percorrer o caminho não é fácil, mas sem volta para as que se propõem a ingressar nele. Como a autora compartilha os ciclos vivenciados por muitas mulheres ao longo de suas vidas na atualidade, a obra pode ajudar muitas autoras a identificarem momentos importantes em suas trajetórias e narrá-los com consciência em seus livros.

Por meio da escrita e compartilhamento de nossas histórias, nós, mulheres, conseguimos identificar os sabotadores e criarmos forças para o resgate e cura da nossa natureza feminina, integrando-a ao masculino e transformando o mundo.

Escreva a sua história

Organizar a nossa história em um livro nos ajuda a compreender melhor quem somos e a trilhar nossa jornada da heroína. Fale com a Vidaria Livros e escreva um livro sobre a sua vida. Entre em contato pelo nosso site www.vidarialivros.com.br.

Gostou desse conteúdo? Curta a gente Instagram e no YouTube para mais dicas sobre como escrever o seu livro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s