Por que eu não desisti de perguntar qual é o sentido da vida

Qual é o sentido da vida?
Qual é o sentido da vida? Ninguém sabe a resposta, mas o sentido da sua dá pra descobrir

Mais de um ano se passou desde que interrompi os posts aqui do blog. Na época, prometi a mim mesma que um dia retomaria, mas confesso que cheguei a duvidar disso. Inúmeros foram os rascunhos e postergações. Este texto, porém, é a prova de que elas acabaram e resolvi apertar o “publicar”. Cá estou, cumprindo a primeira das minhas resoluções para 2017. O Vidaria está de volta e, para reinaugurar, explico o que me convenceu a voltar. Sabe qual é o sentido da vida? Não faço a menor ideia, mas quero viver a minha da melhor forma que eu conseguir. Voltei porque escrever sobre o tema me preenche e, de quebra, pode ajudar outras pessoas.

Qual é o sentido da vida, afinal?

Hoje, minha resposta seria “só vivendo para saber”. Já fui bastante questionada (e eu mesma já me questionei muito) sobre por que refletir sobre o assunto. Simplesmente faço isso da mesma forma que outras pessoas gastam o tempo delas estudando sobre moda, engenharia ou política. Por que entender de futebol? Por que ir no bar tomar cerveja? Por que juntar dinheiro para comprar uma casa, um carro?

São formas de viver. Vivemos gastando o nosso tempo como julgamos mais interessante para nós (ao menos deveríamos). E dessa forma cheguei à seguinte conclusão: gosto de escrever sobre a vida, logo farei isso. Aliás, amo escrever, é meu ofício, então fica ainda mais fácil.

Precisei ficar um ano longe, avaliar e refletir para hoje ter a segurança de dizer: escrever sobre a vida (e sobre vidas) faz todo o sentido para mim. E não somente porque eu gosto, mas acredito que tais reflexões podem ser úteis para outras pessoas.

Por que fazemos o que fazemos?

A gente vive para comer, para dormir, para trabalhar, para amar, para sofrer, mas também para ser feliz. E nunca estaremos com todos os campos da vida em perfeita harmonia. Hoje podemos celebrar um emprego novo e amanhã nos depararmos com o desemprego. Se estamos sozinhos e infelizes, amanhã podemos encontrar um novo amor (e vice-versa, infelizmente). Se um dia celebramos o nascimento de uma criança, no outro podemos perder um ente querido.

Fora os problemas atuais da sociedade: ansiedade, angústia, depressão são doenças que acompanham muitos de nós. E o tratamento dessas enfermidades invariavelmente inclui o autoconhecimento. Com um fortalecimento interno conseguimos lidar com maior facilidade com os imprevistos e seguir caminhando.

Viver com sentido é saber “Por que fazemos o que fazemos”, título de livro do filósofo Mário Sérgio Cortella, lançado recentemente (recomendo). O autor afirma: “uma vida com propósito é aquela em que eu entenda as razões pelas quais faço o que faço e pelas quais claramente deixo de fazer o que não faço.”

Concluo que questionar o sentido da vida é muito importante. Tudo está interligado. Os âmbitos prático e contemplativo (externo e interno) de cada um de nós precisam estar em conexão para que a sociedade evolua como um todo.

Quanto mais nos conhecemos, mais temos a capacidade de atuar melhor no mundo, inclusive agindo efetivamente para mudar o que nos incomoda. Sabe aquela famosa frase de Gandhi, “seja a mudança que você quer ver no mundo”? É difícil, mas já li vários especialistas que dão conselhos nessa linha: antes de se preocupar em como “limpar as injustiças do mundo”, tenha sua própria casa limpa.

Que atire a primeira pedra quem nunca questionou a vida que leva. Quem nunca teve vontade de começar tudo de novo (e teve dificuldades). Sentiu-se ansioso ou angustiado, ficou deprimido, dormindo mal, comendo mal, vivendo mal. E é por isso que resolvi retomar o blog, dessa vez não só para me dar pistas, mas para trazer informações a todos que tiverem necessidade.

Como dar sentido à vida?

O Vidaria volta com uma nova pergunta: “como dar sentido à vida?”. A proposta é ser um espaço de informação sobre autoconhecimento. Trarei textos sobre livros e artigos que eu ler, além, é claro, das histórias de vida. As entrevistas vão continuar. A ideia é trazer relatos de como as pessoas têm buscado e encontrado formas de dar sentido à vida delas.

Se vai ter sentido ou não, só fazendo para saber. Aceito dicas, apoio e sugestões de todos os que estão ou já estiveram na mesma – ou que simplesmente simpatizam com o assunto. E bem-vindos de volta. Espero que a gente consiga dar sentido a nossas vidas juntos! ❤


Escreva um livro sobre a sua história!

Quer dar sentido à sua vida por meio da sua história? Fale comigo! Escreva um livro sobre a sua vida, a história da sua família, empresa ou instituição. Entre em contato pelo: www.vidarialivros.com.br

Anúncios

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s